Área do participante
recuperar senha Voltar

Minicursos

Os minicursos abaixo listados serão ofertados no campus Santa Mônica da Universidade Federal de Uberlândia, exceto aqueles marcados por asterisco (*).

A inscrição nos minicursos será disponibilizada nesta página em breve, e não será restrita aos inscritos no XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia (ou seja, serão aceitas inscrições avulsas, com custos diferenciados).

Não havendo sobreposição de horário, o interessado poderá fazer inscrição em quantos minicursos desejar.


Minicursos de 16h
 
  • Replicagem de peças anatômicas com poliestireno reciclável (XPS): precisão, leveza e baixo custo na produção de material didático e expositivo
 

Ministrante: Me. Helder da Rocha (paleoartista, escultor, arte-educador)

Data19, 20 e 21 de outubro


Ementa: Este minicurso é uma oficina prática de escultura. Será apresentada uma técnica que foi usada para construir diversos esqueletos de pterossauros a partir de material barato, seguro e reciclável (isopor XPS reciclável), o que permite produzir réplicas detalhadas, leves e resistentes. O minicurso contará com apresentações teóricas e demonstrações, mas será principalmente prático. 

Objetivos: A oficina tem como objetivos transmitir conhecimento de modelagem usando folhas de isopor, uma técnica similar a papercraft, porém permitindo maior refinamento. Os participantes irão criar modelos tridimensionais a partir de fotografias de fósseis tomadas em vários ângulos. Serão fornecidas fotografias, medidas e outras informacões para que o participante possa produzir uma réplica em espuma XPS (um ou mais ossos, um crânio, etc.). Os participantes também poderão aproveitar para produzir uma réplica de algum osso ou objeto espe´cifico que tenham interesse.

Programa: Dia 1: Demonstrações e introdução teórica. Escolha de objeto a ser modelado. Transcrição e corte. Montagem de primeiro "esboço 3D". Dia 2: Textura, aplicação de massa de modelagem, refinamento do modelo. Dia 3: Tingimento (com café, cinzas, ferrugem), pintura, refinamento final e acabamento. Aplicação (opcional) de verniz ou cobertura de resina.

Requisitos: Nenhum, mas caso o participante deseje esculpir um objeto específico, deverá  levar um modelo, desenhos ou fotografias do objeto a ser reproduzido, suas dimenso?es e pelo menos uma foto de cada uma das seis vistas básicas.

Lotação min/máx: 10/20; Carga Horária: 16h; Custo: R$ 90,00 (inscrito no CBP) / R$ 110,00 (não-inscrito no CBP).

Inscrição: em breve.
 

  • Oficina de Réplicas para o Ensino de Paleontologia

Ministrante: Dr. Luiz Eduardo Anelli (Instituto de Geociências/USP)

Data: 19, 20 e 21 de outubro


Ementa: Embasamento teórico e prático básico para uso do material produzido em sala de aula; produção de moldes e réplicas de material paleontológico a fim de ilustrar aulas teórico-práticas sobre evolução biológica e temas ligados às geociências, tais como tectônica de placas, reconstrução paleoambiental e paleoecológica, dentre outros A oficina contará com moldes já preparados e réplicas para aprendizagem de técnicas de moldagem e acabamento. 

Objetivos: Produção de moldes e réplicas em gesso, bem seu acabamento artístico para uso em aulas práticas. e municipar os participantes com material de uso didático produzidos em gesso, uma vez que estes serão entregues aos seus produtores.


Programa: Dia 1: Diálogos de contextualização; produção inicial de moldes e técnicas de replicação. Dia 2: Finalização de moldes e produção de réplicas. Dia 3: Acabamento e propostas de uso do material em sala de aula.
 

Requisitos: Nenhum. Lotação min/máx: 8/15. Carga Horária: 16h. Custo: R$ 80,00 (inscrito no CBP) / R$ 100,00 (não-inscrito no CBP).

Inscrição: em breve.

 
  • Coleta, Preparação e Replicagem de Fósseis*

*Minicurso ministrado em Peirópolis, Uberaba.
 

MinistrantesDr. Fabiano Iori (Museu de Paleontologia Pedro Candolo, Uchoa-SP), Me. Helder de Paula Silva (Museu Nacional/UFRJ) e Bel. Jéssica Pontes (Museu Nacional/UFRJ)


Data: 19 e 20 de outubro


Ementa: A Importância para a paleontologia do conhecimento e da aplicação de procedimentos técnicos adequados. Métodos de coleta, transporte, tipos de preparação, moldagem e confecção de réplicas de materiais paleontológicos. Apresentação e comparações entre os principais materiais, ferramentas e substâncias utilizadas nestes procedimentos. Cuidados importantes na colagem e na consolidação de exemplares frágeis.

Objetivos: Apresentar a metodologia aplicada na remoção e preparação do fóssil, além das técnicas de moldagem e replicação de materiais.

Programa: Dia 1 - Conversa sobre atividades de campo: Será apresentado como organizar e escolher as ferramentas apropriadas para cada tipo de atividade, assim como suas aplicações. Escavação, preparação dos blocos e organização de amostras em sítio paleontológico. Prática: Escolha das técnicas apropriadas para cada tipo de macrofóssil de acordo com a rocha onde se encontra e seu estado de conservação. Demonstração de como são utilizadas ferramentas manuais, elétricas e de ar comprimido. Escolha e afiação de ponteiras. Uso de wax e demais processos envolvidos na estabilização de peças, remoção de sedimentos e limpeza dos fósseis. Algumas amostras sem nenhuma preparação da coleção CPPLIP/UFTM (como chegaram do campo) poderão ser usadas para elucidar os trabalhos de preparação e aplicar algumas técnicas no material. Dia 2 - Conversa e Prática sobre Moldagem: Apresentar algumas técnicas de moldagem para replicação de fósseis. Confecção de moldes em borracha de silicone. Um ou mais moldes de fósseis podem ser confeccionados para utilização como exemplo. Confecção de Réplicas: Utilizar alguns moldes prontos para fazer as réplicas em gesso. Explicações sobre outros materiais que podem ser usados de forma alternativa para a confecção das réplicas.

Requisitos: Nenhum. Lotação min/máx: 10/25; Carga Horária: 12h; Custo: R$ 100,00 (inscrito no CBP) / R$ 140,00 (não-inscrito no CBP)*.
*inclui hospedagem em Peirópolis e translado Uberlândia-Peirópolis-Uberlândia.

Inscrição: em breve.
 

  • Paleoarte de A à Z-Brush

Ministrante: Bel. Rodolfo Nogueira (Prehistoric Factory)

Data: 20 e 21 de outubro


Ementa: Paleoarte de A à Z-Brush ensinará qualquer pessoa do zero absoluto em desenho ao conhecimento intermediário no software usado em todos os grandes filmes de Hollywood. Os alunos aprenderão a desenhar, colorir com lápis aquarelável, esculpir com técnicas exclusivas e a trabalhar digitalmente com software de modelagem 3D. Aprenderão também o processo e metodologia para reconstruir um animal extinto da forma mais fidedigna possível.

Objetivos: Ensinar os conceitos e metodologias da paleoarte e paleodesign e vivenciar na prática técnicas de ilustração em lápis aquarela, escultura em espuma e escultura digital no software ZBrush.

Programa: Breve palestra sobre a metodologia e história da paleoarte; oficina de ilustração com lápis aquarelável (trabalhar técnicas para desenhar proporcionalmente, além de traço e acabamento adequados); oficina de escultura em espuma floral (trabalhar conceitos de escultura de subtração e visão tridimensional); oficina de escultura digital no software ZBrush (panorama do programa, modelagem de forma básica, retopologia, anatomia, texturização, iluminação, materiais, renderização, composição).

Requisitos: Não é necessário habilidade de desenho. Caso o participante opte por usar computador próprio, faz-se necessário instalação do software ZBrush (versão trial é adequada).

Lotação min/máx: 8/50. Carga Horária: 16h. Custo: R$ 120,00 (inscrito no CBP) / R$ 160,00 (não-inscrito no CBP).
 

Inscrição: em breve.
 

 
Ministrante: Ma. Lucy Gomes de Souza (doutoranda em Paleozoologia, Museu Nacional/UFRJ)

Data: 20 e 21 de outubro


Ementa: Apresentação dos preceitos filosóficos que regem a Biologia Sistemática, com implicações diretas e indiretas na forma em que os métodos sistemáticos são conduzidos. Serão abordados temas como: base filosófica para inferências filogenéticas, confecção de caracteres, homólogos e homologia x homogenia, como ler e interpretar cladogramas e formas de testar e comparar hipóteses filogenéticas.

Objetivos: Fornecer uma base teórica por meio da apresentação de conteúdos de filosofia da ciência para os participantes serem capazes de ter discernimento próprio para fundamentar suas escolhas acerca dos diferentes métodos utilizados para responder às diferentes perguntas presentes na biologia sistemática.

Programa:
 Breve discussão sobre o que é ciência; Natureza da investigação; Distinção entre as ciências históricas (explanatórias) e experimentais; Tipos de inferência: definição, identificação e aplicação; Conhecimento biológico e objetivo da sistemática filogenética; Requerimento da evidência total; Teste de hipóteses e teorias; Homólogos e homologia x homogenia; O que é um caractere?; Confeccionando um caractere; A matriz de dados e a proposição de homólogos; Grupo-externo e as perguntas contrastivas; De Queiroz e o conceito unificado de espécie; Espécie como uma hipótese explanatória; Apresentação e crítica aos métodos de análise cladisticos; Base filosófica para estudos filogenéticos; Objetivo da Biologia sistemática; Apresentação das propostas de sistematização biológica; Críticas e possíveis soluções; Compreensão inicial e contínua; Finalização e discussão sobre o curso. 

Requisitos: Nenhum. Lotação min/máx: 8/40. Carga Horária: 16h. Custo: R$ 60,00 (inscrito no CBP) / R$ 80,00 (não-inscrito no CBP).

Inscrição: em breve.
 

  • Paleoclimatologia: Entendendo o Funcionamento do Clima da Terra Através do Registro Fóssil 

 

Ministrante: Me. Marcelo Mota (University of Birmingham/Reino Unido)

Data: 20 e 21 de outubro
 

Ementa: Conceitos básicos: sistemas complexos, sistemas não-lineares, mecanismos de retro-alimentação positivos e negativos; Princípios: o clima como sistema complexo, componentes do sistema climático, balanço energético da Terra, ciclos biogeoquímicos, respostas de ecossistemas a mudancas climáticas, arquivos paleoclimáticos; Técnicas: perfuração em oceano profundo, bioestratigrafia e magnetoestratigrafia aplicadas à datação (modelos de idade-profundidade), proxies geoquímicas (isótopos estáveis de oxigênio e carbono em microfósseis), proxies orgânicas (paleotermometria), distúrbios sedimentares como proxies paleoclimáticas; Evolução climática da Terra nos últimos 115 milhões de anos, com ênfase em dois eventos de aquecimento global (Máximo Termal do Cretáceo Médio e Máximo Termal do Paleoceno-Eoceno) e em dois eventos de resfriamento global (Transição Eoceno-Oligoceno e Transição do Oligoceno Médio), e a resposta de ecossistemas marinhos preservada no registro fossilífero.

Objetivos: Compreender o funcionamento do clima da Terra no tempo profundo como um sistema complexo, bem como dos seus componentes e mecanismos externos e internos; Obter noções teóricas sobre técnicas de datação e proxies paleoclimáticas (sedimentares, micropaleontológicas e geoquímicas) amplamente adotadas em reconstruções de longo prazo do clima terrestre; Conhecer a história climática da Terra e como os ecossistemas respondem a mudancas e preservam alterações ecológicas no registro (micro)fossilífero; Identificar como o estudo paleoclimático do tempo profundo pode contribuir com o conhecimento dos mecanismos das mudancas climáticas contemporâneas.


Programa: Dia 1 - 08h-10h: Apresentacao da estrutura do curso, sistemas complexos, sistemas não-lineares, mecanismos de retro-alimentação positivos e negativos, o clima como sistema complexo, componentes do sistema climático, balanço energético da Terra, ciclos biogeoquímicos, respostas de ecossistemas a mudanças climáticas, arquivos paleoclimáticos. 10h-10h30: Intervalo; 10h30-12h: Perfuração em oceano profundo, bioestratigrafia e magnetoestratigrafia aplicadas à datação, modelos de profundidade-idade. 12h-13h: Intervalo. 13h-16h: Proxies geoquímicas (isótopos estáveis de oxigênio e carbono em microfósseis carbonáticos), proxies orgânicas (paleotermometria - UK37, TEX86), distúrbios sedimentares como proxies paleoclimáticas. Dia 2 - 08h-10h: Evolução paleoclimática da Terra desde o Aptiano, reconstruções paleoclimáticas de Zachos (1996), Cramer (2011) e Friedrich (2012). 10h-10h30: Intervalo. 10h30-12h: Eventos de resfrimento global. 12h-13h: Intervalo. 13h-16h: Eventos de aquecimento global, reconstruções climáticas do Neógeno ao Recente, mudanças climáticas do Antropoceno.

Requisitos: Noções básicas de micropaleontologia, sedimentologia, estratigrafia e geoquímica. No entanto, alguns conceitos destas areas serão oportunamente relembrados no conteúdo programático.

Lotação min/máx: 10/40; Carga Horária: 16h; Custo: R$ 80,00 (inscrito no CBP) / R$ 120,00 (não-inscrito no CBP).


Inscrição: em breve.


Minicursos de 8h
 
  • Detectando Padrões Evolutivos com Métodos Filogenéticos Comparativos e Dados Paleontológicos

 

Ministrante: Dr. Pedro Lorena Godoy (Stony Brook University)

Data: 20 de outubro


Ementa: Evolução fenotípica e métodos comparativos filogenéticos (PCMs); Caracteres discretos e contínuos com estatística uni e multivariada; Coleta e preparação dos dados; Análises no programa R e interpretação de resultados.

Objetivos: Familiarizar os participantes com alguns dos métodos e análises quantitativas mais comumente utilizados em análises macroevolutivas (evolução fenotípica), fornecer o arcabouço teórico (p. ex.: literatura clássica sobre macroevolução e PCMs), auxiliar na identificação da pergunta a ser respondida e quais métodos se adequariam.


Programa: Aula expositiva dialogada com exibição de slides sobre a fundamentação teórica de estudos macroevolutivos (p. ex.: obras de Darwin e G. G. Simpson, entre outros) e métodos comparativos filogenéticos (contribuição de Joe Felsenstein), Depois, a aula seguirá com comparações entre investigações utilizando caracteres discretos e contínuos, bem como dados uni e multivariados (uma ou mais dimensões). Nessa parte, caberá a atuação dos participantes, que poderão dar exemplos de possíveis características que poderiam ser analisadas nos grupos em que são especialistas. Se houver tempo, durante a manhã também se iniciará explanações sobre coleta e preparação de dados, detalhando semelhanças e diferenças em métodos e análises distintos. Caso não haja tempo, essa etapa se dará no início da tarde. Em seguida virão as instruções básicas sobre a linguagem/programa R. No RStudio será demonstrado o básico para importar os dados (tanto os dados fenotípicos quanto as árvores filogenéticas) e serão expostos alguns exemplos de análises mais comuns (ex.: independent contrasts PGLS, ajuste de modelos evolutivos, morfometria geométrica, quantificação de disparidade morfológica, etc), e quais se adequariam melhor a cada investigação. Por fim, alguns exemplos de artigos recentes serão dados para ilustrar como utilizar tais métodos, bem como interpretar os resultados. 

Requisitos: Nenhum. Lotação min/máx: 10/40; Carga Horária: 8h; Custo: R$ 50,00 (inscrito no CBP) / R$ 80,00 (não-inscrito no CBP).

Inscrição: em breve.
 

  • Introdução ao Estudo dos Microfósseis - Evolução, Diversidade e Aplicações


Ministrante: Dr. Cleber Fernandes Alves (Instituto de Geociências/UFRJ)


Data: 20 de outubro


Ementa: Conceitos básicos de geologia, estratigrafia e micropaleontologia; O tempo geológico; Relação dos conceitos evolutivos e paleontológicos; Caracterização e identificação dos principais grupos de microfósseis; Atividades de fixação do conteúdo.

Objetivos: Apresentar os conceitos iniciais da Micropaleontologia e suas aplicações (bioestratigrafia, paleoecologia, avaliação de maturidade térmica, etc.) aos alunos interessados em Geociências.


Programa: Fundamentos de Estratigrafia; Micropaleontologia: Conceitos e histórico de pesquisas; Elementos de Bioestratigrafia; Grandes eventos de extinção; Principais grupos de microfósseis marinhos do Mesozoico e Cenozoico; Micropaleontologia Aplicada: métodos de estudo, classificação dos microfósseis, bioestratigrafia e paleoecologia/paleobatimetria, outras aplicações (maturidade térmica e paleoceanografia); Evolução e diversidade do plâncton marinho ao longo do tempo geológico; Exercícios de fixação do conhecimento.

Requisitos: Nenhum. Lotação min/máx: 8/40; Carga Horária: 8h; Custo: R$ 60,00 (inscrito no CBP) / R$ 80,00 (não-inscrito no CBP) .

Inscrição: em breve.
 

  • Paleopedologia Aplicada à Paleontologia: Tendências Tafonômicas de Raízes

Ministrante: Me. Diego Luciano do Nascimento (doutorando em Geociências, UNICAMP)

Data: 20 de outubro


Ementa: Introdução à pedologia e a paleopedologia: conceitos e definições básicas; definição de solo e paleossolos; fatores e processos de desenvolvimento do solo; aspectos biológicos do solo; coevolução entre solo e a cobertura vegetal; paleossolos como indicadores paleoambientais. Identificação e caracterização de paleossolos em campo e laboratório: horizontes pedogenéticos; estruturas pedológicas; marcas de raízes e outros traços fósseis; micromorfologia de solos e sua aplicação para paleopedologia; geoquímica e mineralogia. Paleopedologia aplicada à paleontologia: caracterização de rizólitos e paleorizosferas em campo e laboratório; importância paleoambiental de traços de raízes; por que os rizólitos se preservam?; gradientes tafonômicos de preservação de raízes; preservação por cimentação carbonática; preservação por silicificação.

Objetivos: Capacitar os participantes com as ferramentas básicas para entender os principais fatores e processos de desenvolvimento dos solos para identificação e caracterização de paleossolos visando ao entendimento de sua importância para análise paleoambiental e tafonômica.


ProgramaEste curso tem como proposta conhecer a caracterização e identificação de paleossolos, bem como sua aplicação em estudos paleontológicos. Serão abordados os diferentes aspectos e a importância dos paleossolos como marcadores estratigráficos e indicadores paleoambientais e suas relações com o registro fóssil. Trabalharemos os conceitos básicos da pedologia e da paleopedologia, as metodologias utilizadas para sua caracterização em campo e em laboratório e suas limitações na análise paleoambiental. Os participantes tomarão conhecimento das principais ferramentas analíticas utilizadas na paleopedologia, bem como compreender as potencialidades e as limitações dos  paleossolos para análise paleoambiental e terão contato com a metodologia de identificação e caracterização de icnofósseis preservados em paleossolos, Serão apresentados diferentes estudos de caso que utilizam a paleopedologia e a icnologia continental para a ampliação do entendimento do registro paleontológico.

Requisitos: Noções básicas de geologia e paleontologia.

Lotação min/máx: 5/40; Carga Horária: 8h; Custo: R$ 60,00 (inscrito no CBP) / R$ 90,00 (não-inscrito no CBP).

Inscrição: em breve.
 

  • Icnologia Aplicada à Estratigrafia de Sequências

Ministrante: Dr. Daniel Sedorko (Instituto de Geografia, UFU)

Data: 21 de outubro


Ementa: Histórico da Icnologia; Critérios para reconhecimento de icnofósseis; Análise de depósitos sedimentares com destaque para os vínculos faciológicos dos icnofósseis; Aplicações de associações icnofossilíferas para mapear superfícies estratigráficas e detalhar arcabouços estratigráficos.

Objetivos: Introduzir os paradigmas e as metodologias de estudo em Icnologia; Abordar conceitos relacionados à Icnologia, tais como icnofóssil, icnofábrica, icnocenose, grau de bioturbação, icnofácies, icnotaxonomia, icnodisparidade, estratinomia e etologia; Analisar estudos de caso que aplicaram a Icnologia em Geologia Sedimentar e Estratigrafia de Sequências


Programa: 8h-12h: Aula teórica; 13h?17h: Aula teórico-prática. Temas: Histórico da consolidação da Icnologia enquanto ciência; Paradigmas e métodos de análise em Icnologia com enfoque em ambientes marinhos; Icnofácies e barreiras preservacionais de macrofósseis; Contribuições da Icnologia para a Paleontologia de Invertebrados, Tafonomia e Estratigrafia de Sequências; Aplicações da Icnologia no reconhecimento de superfícies estratigráficas; Estudos de caso.

Requisitos: Nenhum. Lotação min/máx: 5/40; Carga Horária: 8h; Custo: R$ 60,00 (inscrito no CBP) / R$ 80,00 (não-inscrito no CBP).

Inscrição: em breve.

 

  • Introdução à Paleobiogeografia: Teoria e Prática 
 

Ministrantes: Me. Giovanne Mendes Cidade (doutorando em Biologia Comparada, FFCLRP/USP) e Me. Caio César Rangel (UFU, campus Monte Carmelo)


Data: 20 de outubro


Ementa: Biogeografia Ecológica, Biogeografia Histórica e Paleobiogeografia; Apresentação da teoria da deriva continental e suas influências na distribuição dos organismos, especialmente dos vertebrados tetrápodes; Introdução a grandes eventos paleobiogeográficos da história da Terra, como o Grande Intercâmbio Biótico Americano; Apresentação dos principais métodos práticos utilizados em estudos de paleobiogeografia (panbiogeografia, biogeografia cladística, entre outros) e suas tecnologias.

Objetivos: Oferecer uma introdução à teoria e aos métodos empregados na Paleobiogeografia, área do conhecimento que comunica a Paleontologia com a Biogeografia a fim de compreender a influência de mudanças geológicas e ambientais nos processos de diversificação de espécies, bem como os seus centros de origem e padrões de dispersão no decorrer do tempo geológico, utilizando os fósseis como objeto de estudo, e introduzir o uso de métodos computacionais em estudos paleobiogeográficos.


Programa: 08h-10h: Aula Teórica. 10h-10h30: Intervalo; 10h30-12h: Aula Teórica. 13h-16h: Aula Prática .

Requisitos: Nenhum. Lotação min/máx: 2/40; Carga Horária: 8h; Custo: R$ 50,00 (inscrito no CBP) / R$ 70,00 (não-inscrito no CBP).

Inscrição: em breve.
 

  • Bacia Bauru: Tectônica e Sedimentação


Ministrante: Dr. Alessandro Batezelli (Instituto de Geociências, UNICAMP)

Data: 21 de outubro


Ementa: Evolução dos conhecimentos sobre a Bacia Bauru (autores e suas contribuições); Origem e evolução da bacia; Unidades estratigráficas (características e nomenclaturas); Datações do Grupo Bauru, Análise de fácies e ambientes deposicionais; Paleossolos e seu significado geológico; Aspectos tectônicos e climáticos; Evolução estratigráfica do Grupo Bauru.

Objetivos: Apresentar a evolução dos conhecimentos sobre o Grupo Bauru e o atual estado da arte baseado em dados sedimentológicos, paleontológicos e paleopedológicos, permitindo uma visão integrada e o entendimento dos modelos deposicionais e paleoambientais da bacia.

ProgramaDefinições; Evolução dos conhecimentos sobre o Grupo Bauru; Fácies e Ambientes deposicionais;  Características sedimentológicas; Paleossolos do Grupo Bauru; Proposta(s) de evolução tectôno-estratigráfica; Discussões e conclusões.

Requisitos: Nenhum. Lotação min/máx: 8/40; Carga Horária: 8h; Custo: R$ 50,00 (inscrito no CBP) / R$ 80,00 (não-inscrito no CBP).

Inscrição: em breve.
 

  • Métodos Computacionais em Paleontologia

 

Ministrante: Dr. Mauro José Cavalcanti (Ecoinformatics Studio - RJ)

Data: 21 de outubro


Ementa: Análise da disparidade morfológica em grupos fósseis; Análise de redes tróficas em paleocomunidades ecológicas; Simulação por computador da evolução de plantas; Classificação de icnofósseis com redes neurais.

Objetivos:  Desenvolver a aplicação de métodos quantitativos e computacionais avançados para a análise de dados paleontológicos e fomentar a formação de recursos humanos especializados, através do treinamento de estudantes de graduação e pós-graduação, contribuindo para o seu aperfeiçoamento acadêmico.


Programa: --

Requisitos: Conhecimento de linguagens de programação, estatistica multivariada e técnicas de computação gráfica. Lotação min/máx: 5/10; Carga Horária: 8h; Custo: R$ 100,00 (inscrito no CBP) / R$ 130,00 (não-inscrito no CBP).

Inscrição: em breve.
 

  • Manejo de Jacarés em Diferentes Ambientes: Vida Livre e Cativeiro*
*Minicurso ministrado na Faculdade de Medicina Veterinária, campus Umuarama/UFU.


Ministrantes: Dr. André Luiz Quagliatto Santos, Dra. Teresinha Inês de Assumpção, Me. Evandro Alves Canelo, graduanda Jéssica Santos Queiroz (Faculdade de Medicina Veterinária/UFU)


Data: 21 de outubro


Ementa: Contenção Física; Contenção Farmacológica; Reprodução Assistida; Incubação Artificial; Cuidados com Neonatos.
 

Objetivos: Fornecer os conhecimentos necessários para que os profissionais e estudantes da área possam exercer a contenção física adequada dos animais, conhecer os fármacos utilizados para contenção farmacológica e seus pontos de aplicação, entender a importância da reprodução assistida na conservação das espécies e os processos envolvidos e conhecer como é feita a coleta dos ovos e a incubação artificial destes, bem como quais os cuidados com os neonatos.


Programa: Sessão Teórica: 08h-09h: Contenção Física; 09h-10h: Contenção Farmacológica; 10h-11h: Reprodução Assistida; 11h-12h: Incubação Artificial e Cuidados com Neonatos. Sessão Prática: 14h-18h. 

Requisitos: Curso voltado para estudantes ou profissionais em Biologia, Medicina Veterinária, Zootecnia e para os participantes do  Terceiro Simpósio sobre Evolução de CrocodyliformesVestimenta obrigatória: calçado fechado, calça comprida (exceto  legging), blusa de manga. 

Lotação min/máx: 10/15; Carga Horária: 12h; Custo: R$ 100,00 (inscrito no CBP) / R$ 140,00 (não-inscrito no CBP).

Inscrição: em breve.

 

  • Introdução à Origem e Evolução de Tetrápodes Não-Amniotas

Ministrantes: Me. Lucas Almeida Barcelos (Programa de Pós-graduação em Evolução e Diversidade/UFABC) e Bel. Rodolfo Santos (mestrando em Zoologia, Museu de Zoologia/USP)


Data: 21 de outubro


Ementa: Introdução geral: apresentação de conceitos e metodologias importantes ao longo do curso, incluindo definições de gradismo e cladismo, adaptação e exaptação e filosofia da ciência (com enfoque em Thomas Kuhn); Origem de Tetrapoda: descobertas mais recentes, principais fósseis e suas características, adaptações para a vida no ambiente terrestre; Diversidade de tetrápodes não-amniotas fósseis: os principais grupos de Temnospondyli e Lepospondyli e as principais propostas filogenéticas; Origem e evolução de Lissamphibia: stem e crown groups,  paleobiogeografia de Lissamphibia; Extinções: como as grandes extinções em massa anteriores afetaram os tetrápodes não-amniotas, e como eles estão sendo impactados pela corrente Sexta Extinção.

Objetivos: Introduzir o tema da história evolutiva dos tetrápodes não-amniotas, apresentando o conhecimento mais recente acerca da sua origem e diversidade, incluindo linhagens atuais e as já extintas. 


Programa: 08h-10h: Introdução e Origem de Tetrapoda; 10h30-12h: Diversidade de Tetrapoda não-amniota 13h-16h: Continuação de Diversidade de Tetrapoda não-amniota e Origem e Evolução de Lissamphibia; 16h-17h30: Extinções em massa e os tetrápodes não-amniotas.

Requisitos: Este minicurso é direcionado para graduandos e pós-graduandos de cursos relacionados às áreas das Ciências Biológicas e Ciências da Terra .

Lotação min/máx: 5/30; Carga Horária: 8h; Custo: R$ 50,00 (inscrito no CBP) / R$ 70,00 (não-inscrito no CBP).

Inscrição: em breve.


Minicursos de 6h
 
  • Técnicas de Curadoria em Paleontologia 


Ministrantes: Dra. Maria Inês Feijó Ramos (Museu Paraense Emílio Goeldi) e Dra. Luciana Barbosa de Carvalho (Museu Nacional/UFRJ)


Data: 21 de outubro


Ementa: O curso apresenta e discute os métodos curatoriais nas coleções paleontológicas. A partir de debates, serão aprofundados diversos aspectos relacionados à prática curatorial, nos quais os participantes poderão adquirir conhecimento desde as práticas básicas de organização de coleções científicas até as especificidades de cada coleção a partir do exemplo das coleções paleontológicas.

Objetivos: Apresentar e debater as problemáticas e avanços nos métodos de curadoria científica nas geociências visando a preservação dos fósseis e a conscientização da importância destes como patrimônio público.


Programa: Atividade 01: Da coleta ao acervo: tipos de acervo; seleção dos fósseis a serem incorporados ao acervo científico; dados de coleta; doações. Atividade 02: Tópicos em preparação: tipos de fósseis para incorporação no acervo (especificidades quanto ao grupo taxonômico, tamanho e composição química, quais os instrumentos adequados; cuidados no tratamento químico na preparação de fósseis). Atividade 03: Tópicos em catalogação: Identificação sistemática preliminar (dados taxonômicos básicos); tipos de materiais para catalogação da amostra; tipos de etiquetas a serem utilizadas na catalogação; outros meios de catalogação; instrumentos utilizados na catalogação; vantagens e desvantagens dos instrumentos; problemáticas enfrentadas na catalogação de fósseis. Atividade 04: Tópicos em acondicionamento e organização: tipo de material para acondicionamento da amostra; organização (tipos de armários, meios de busca da informação dentro do acervo); tipos de coleções (exemplo: coleções de tipos e figurados; diversidade de grupos em acervo paleontológico: organização e técnicas especializadas de acondicionamento). Atividade 05: Digitalização e disponibilização de dados: programas utilizados; meios de divulgação e consulta. Atividade 06: Segurança nos acervos e importância dos fósseis como Patrimônio público. 

Requisitos: Nenhum. Lotação min/máx: 5/40; Carga Horária: 6h; Custo: R$ 40,00 (inscrito no CBP) / R$ 60,00 (não-inscrito no CBP).

Inscrição: em breve.
 

  • Paleoecologia Isotópica


Ministrante: Dr. Mario Dantas (UFBA, campus Vitória da Conquista)

Data: 21 de outubro


Ementa: Introdução à Paleoecologia; Isótopos estáveis (carbono e oxigênio); Paleodietas; Cálculo de proporções de dieta; Nicho ecológico; Sobreposição de nicho ecológico; Teias tróficas; Paleoambientes.

Objetivos: Estimular os alunos a assimilarem conceitos e informações acerca da Paleoecologia; aprenderem algumas das técnicas utilizadas na reconstrução da Paleoecologia de indivíduos a comunidades.

Programa: Paleoecologia de Vertebrados; Inferências de paleodietas; Interações paleoecológicas.

Requisitos: Nenhum. Lotação min/máx: 8/40. Carga Horária: 6h. Custo: R$ 40,00 (inscrito no CBP) / R$ 60,00 (não-inscrito no CBP).

Inscrição: em breve.
 

  • Intervenções de Paleontologia no Ensino Básico: complementando material didático, desenvolvendo competências socioemocionais previstas na BNCC e investindo na formação de cidadãos com mais informação e comprometimento com as ciências da natureza


Ministrante: Dr. Carla Abranches (USP)

Data: 21 de outubro


EmentaPrincipais metodologias aplicadas para o ensino da paleontologia na educação básica; adequação do conteúdo e da intervenção de forma a tornar este processo mais assertivo; utilização de ferramentas para consolidar a aprendizagem; principais competências socioemocionais previstas na BNCC possíveis de serem trabalhadas a partir deste tipo de intervenção. Construção, em grupos, de metodologias de ensino de paleontologia capazes de serem aplicadas em sala de aula, de acordo com os principais interesses dos alunos.

ObjetivosAtualizar conhecimentos referentes ao ensino da paleontologia no ensino formal, como tornar esta prática mais adequada ao público envolvido e, de que forma sua aprendizagem pode ser mais efetiva. Ao término do curso, os alunos terão em mãos uma estratégia, pensada em grupo, para colocar em prática os conhecimentos adquiridos.

Programa: Parte 1: Histórico e principais conceitos que norteiam o ensino da paleontologia na educação básica. Parte 2: a) Metodologias mais comuns utilizadas; b) Fontes e recursos disponíveis para consulta; c) Como adequar melhor sua intervenção ao público que se quer atuar? d) as competências socio-emocionais previstas na BNCC e o que pode ser contemplado em uma intervenção sobre paleontologia; Parte 3: Prática em grupos - construção de uma metodologia de intervenção em paleontologia que possa ser aplicada em sala de aula logo após o curso.

Requisitos: Nenhum. Lotação min/máx: 8/40. Carga Horária: 6h. Custo: R$ 50,00 (inscrito no CBP) / R$ 70,00 (não-inscrito no CBP).

Inscrição: em breve.